Rodada de Inovação Tecnológica promove intercâmbio de ideias no 7º CIMES

Foram realizadas cerca de 200 reuniões em dois dias

Mais de vinte e uma unidades de pesquisas participaram da Rodada de Inovação Tecnológica na sétima edição do CIMES (Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde), evento que aconteceu entre os dias 22 e 23 de agosto, em São Paulo, com o intuito de reunir indústrias brasileiras e centros de pesquisa e tecnologia que tenham projetos compatíveis entre si para que realizem uma conversa inicial sobre a possibilidade de parceria para desenvolvimento de novas tecnologias. Este intercâmbio conduziu um processo de apresentação de diversas expertises, fazendo com que as empresas tivessem a oportunidade de fomentar os seus projetos para dar início às novas parceiras.

Por meio de uma aliança firmada com importantes parceiros, como Investe SP e EMBRAPII, (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial), além de Nutes (Núcleo de Tecnologia Educacional para a Saúde) e Instituto Atlântico, tivemos a participação do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e da Finep (Financiadora de Estudos e Projetos).

A Rodada de Inovação dentro do CIMES é um evento conhecido e aguardado por toda a área da saúde, como conta a gerente do Instituto de Tecnologia da Saúde do CIMATEC, Josiane Barbosa: “Nossa expectativa sempre foi boa. Sabemos que esse é o evento registrado na agenda de todas as instituições, anualmente.”

Para chamar a atenção das empresas, os centros acadêmicos conversaram com as empresas para entender suas necessidades e agendar futuras reuniões apresentando suas propostas com base nas demandas individuais de cada um. “A maioria dos projetos que desenvolvemos tem como foco a demanda principal das empresas, que nos passam suas necessidades”, conta Sandro Azevedo, desenvolvedor de negócios da Inatel.

Para o sócio-administrador da startup Customize, Bruno Risso, visitar a Rodada da Inovação foi uma chance de estreitar relacionamentos e conferir de perto o intercâmbio de projetos e possibilidades. “Tive a oportunidade de conversar com pequenas e grandes unidades de negócios para entender cada ideia apresentada, assim, poderemos nos programar para fechar uma aliança, e usufruir das infra estruturas oferecidas como benefício para ambos os lados”.

“O trabalho realizado nestes dois dias de rodada de inovação não só provou que a indústria possui sede de P&D e no evento, promovemos um celeiro de oportunidades para o caminho evolutivo e de inovação para o setor”, afirma Rejane Dias, gerente de Marketing.